A Evidência Genética de Impacto do Yoga sobre o Sistema Imunológico

A EVIDÊNCIA GENÉTICA DE IMPACTO DO YOGA SOBRE O SISTEMA IMUNOLÓGICO

Pesquisadores noruegueses encontraram uma resposta genética forte e imediata junto a prática do Yoga (23 de Abril de 2013).

O fim da obsessão do “Yoga Calça Jeans” está chegando ao fim. Agora Yoga é GENÉTICA!

Pesquisa recém-publicada da Noruega sugere que um programa de yoga abrangente, produz rapidamente mudanças internas em um nível genético. Os resultados ajudam a explicar, de forma documentada, os benefícios para a saúde desta prática tão antiga.

“Os dados sugerem o que anteriormente já foi relatado sobre os efeitos (terapêuticos) da prática do Yoga sobre os componentes fisiológicos humanos e que se integram ao nível molecular, algo iniciado, imediatamente, durante a prática”, escreve uma equipa de investigação liderada por Fahri Saatcioglu da Universidade de Oslo. Tal estudo da equipe foi publicado no jornal online PLoS ONE .

Agora, os pesquisadores relatam pela primeira vez que, práticas como Yoga que provocam a resposta de relaxamento (sistema nervoso parassimpático), podem ter um efeito de longo prazo sobre a expressão do gene!! Esse é o termo científico para saber se um gene específico é “ligado”, o que significa que sua proteína ou produto RNA está realmente acontecendo. O último estudo confirma as conclusões, conectando-as ao sistema imunológico do corpo, e sugere que tal efeito pode ser instantâneo.

O experimento da Universidade de Oslo atuou sobre 10 indivíduos que participaram de um retiro de Yoga com duração de uma semana na Alemanha. Nos dois primeiros dias, os participantes passaram duas horas praticando um programa de Yoga abrangente, incluindo posturas de yoga (ásanas), exercícios de respiração (pranayamas, um em particular, o Sudarshan Kriya/Kundalini Yoga), e meditação. Os dois dias seguintes e no mesmo período de tempo, caminhada junto a natureza na primeira hora e, em seguida, ouviram jazz ou música clássica, contendo relaxamento orientado.

Imediatamente, antes e após cada uma das sessões, os pesquisadores extraíram o sangue de cada participante. Eles, então, isolaram e analisaram as células mononucleares do sangue periférico, as quais desempenham um papel chave no sistema imunitário do corpo. Os pesquisadores descobriram que a caminhada junto a natureza e o relaxamento orientado com música, mudou a expressão de 38 genes nas células imunes circulantes. Porém, em comparação com a prático do Yoga, produziu-se mudanças em 111 genes. 14 genes foram afetados por ambos os exercícios, “o que sugere que os dois regimes, até certo ponto, afetam de forma semelhante os processos biológicos”, escreveram os investigadores. No entanto, observam que o impacto do Yoga era muito mais generalizado, o que indica que a prática “pode ter efeitos adicionais sobre o exercício mais simples de relaxamento na indução de benefícios à saúde, por meio de mudanças diferenciais em nível molecular.”

Assim, se seu tapete de yoga tem juntado poeira, esta pesquisa fornece um incentivo para levá-lo para fora do armário. Na medida em que o sistema imunológico está como causa das doenças, andar na natureza é bom, mas praticar Yoga pode ser substancialmente melhor.

(fonte: https://psmag.com/economics/genetic-evidence-of-yogas-impact-on-immune-system-55994)

Traduzido por Google. Adaptações e correções: Stupa Lima – www.centrovor.org

Um comentário em “A Evidência Genética de Impacto do Yoga sobre o Sistema Imunológico”

  1. Medicina e patologias são coisas muito complexas, a anos trabalho na área
    e sempre penso que é fantástico o corpo humano. Gostei muito do assunto
    e busco muitas informações na internet sobre patologias de diversas áreas
    embora eu seja especializado em pediatria.Parabéns pelo site, um abraço 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *