deep yoga

A massificação da prática do Yoga acontece atualmente na sociedade Ocidental – a Meditação também, como prática isolada – e obrigado ao devido aprofundamento. Ambas modalidades enquadradas no projeto “qualidade de vida” assumem papel até mesmo na educação: adentram no ensino fundamental e dão voz a inclusão e criação de estratégias para um sistema de ensino mais eficaz. Yoga e Meditação também inspiram pesquisas na área da neurociência e ajudam a esclarecer a física quântica.

O foco está em agirem sobre a emoção e ser esse o fator reconhecidamente preponderante para bons resultados tanto no aprendizado, como no autodesenvolvimento e na saúde. Yoga e Meditação favorecem uma educação humanizada e integrativa.

os muitos cursos de formação no Ocidente.

Pessoas brilham no Ocidente utilizando o Yoga. Várias delas se unem, formam grupos, escolas, cursos, associações em defesa de um “yoga com qualidade”. Esses e demais iniciados são a linha de frente que levam tais práticas ao populismo. O exótico se adapta ao Ocidente e nós ocidentais a ele, gerando crescimento multicultural magnífico claramente observado.

Desse ponto em diante, o Ocidente se vê com os mais diversos cursos de formação ou de aprofundamento no Yoga e as mais diversas novas modalidades de meditação.

O fato é que o mesmo yoga que se concentrou no físico durante anos da prática ocidentalizada, esticando bem o corpo ao ponto de exibir ásanas maravilhosos tendo o Monte Kalaish como paisagem de fundo, também agiu sobre a mente e a flexibilizou em igual dimensão ou até mais! Novos conteúdos proliferaram e muitos pré-existentes foram de vez banidos. O espaço para um aprofundamento é então criado e objetiva que emerja o questionamento sobre “Eu Sou Quem?”, algo que a prática da meditação sozinha também oferece.    

Há sempre o risco de o popular corromper o tradicional, basta ver a legião de “coachs”, terapeutas holísticos e falsos gurus. Embora possa haver alguns equívocos nessas autoafirmações, ainda é o autoconhecimento que brilha no cartaz. O autoconhecimento está em voga!

O que impulsiona o aumento no interesse pelo tema é o mal que sempre afligiu a humanidade e enche os consultórios médicos até hoje: o vazio existencial que as emoções nunca preenchem de fato, mas esclarecem onde residem os valores a regerem nossos pensamentos e atitudes, o que pode interferir negativamente no bem-estar. Há clara confusão sobre “necessário & suficiente”, “paz & amor”, “indivíduo & respeito”. Com a ausência do discernimento promovido pelo alvoroço do ambiente emocional e o fluxo incessante de desejos, aumenta o sentimento de medo por onde o vazio existencial acontece e uma avalanche de consequências físicas sucede.  

Yoga e Meditação, métodos de autoconhecimento que são pura ambrosia, rompem padrões emocionais negativos, desintegram vícios, retiram compulsões; ao tempo é dada a relatividade. Flui a educação também interior por onde o que seja espírito, melhor lida com o denso sistema cérebro-espinhal.

A vida para essas práticas ancestrais é inclusiva, diversificada, abundante e feliz. Toda emoção gerada deveria revelar tais sentimentos que contém beleza e luz.    Mantenhamos a brava luta. Mantenhamos a prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *