Viva julho!! (2019)

Viva JULHO!!! O mês chega e nos brinda com o Sol e a Lua brincando diferente de esconde-esconde.  

Serão dois eclipses, solar e lunar, que ocorrem acompanhando a floração da Lua, na nova e na cheia.

Ainda mais espetacular é o fato de que esses eventos ocorrem sobre sinais astrológicos que ecoam em questões fundamentais da qualidade humana: emoções e autoexpressão.

Câncer e Capricórnio são estes sinais, respectivamente, signos que traduzem a digestão e a exteriorização emocional na psique.

Câncer nos leva a um mergulho na nossa intimidade emocional, enquanto Capricórnio a exterioriza impessoalmente e se aproveita das condições submersas ou inconscientes.  

Dia 2 foi a vez do eclipse Solar total e a Lua que fez sombra à Terra estava nova no signo de Câncer. Lua Nova age como um reset e por se tratar do emocional, o antivírus eclipse passou varrendo cada compartimento, a fim de encontrar aquele incômodo soterrado e de cunha familiar, até mesmo ancestral.

Se encontrado algum, ou seja, tomando-se consciência e enfrentando o caso, dia 16 sob a Lua Cheia em Capricórnio, o eclipse Lunar eliminará de vez o arquivo infectado, revelando uma autoexpressão mais genuína.

Passa rápido, é verdade. Já estamos na metade do ano gregoriano. Mas a rapidez é só uma sensação movida por ansiedade e medo do futuro. Até porque, o tempo não está passando mais rápido. Na verdade, segundo a ciência, a cada século nossos dias se tornam 1,7 milissegundo mais longos.

Assim, quando se trata de mágoas, ressentimentos, raiva, ódio, que são emoções que sugam nossa energia vital, bom seria para muitos que Julho passasse voando, ainda que ofereça imensa possibilidade de limpeza e cura ao ativar as batalhas que podem e devem ser enfrentadas em nome da paz de espírito. 

Não é para ser fácil, mas estimulante o momento astral.

Somos, existimos, sabemos que vamos morrer. Nossas decisões permeiam sobre o frágil e as consequências, sejam elas boas ou ruins, partem de nós: somos nós os agentes e não há a quem julgar, recorrer ou colocar a culpa. Diferentes dos chipanzés, reconhecemos passado e desejamos o futuro: o tempo nos pertence para que façamos o melhor uso possível dele, dentro da perspectiva evolutiva da raça humana.

No ambiente mamífero-humano a consciência pede desenvolvimento pelo exercício da reflexão e assunção como agente que somos da totalidade das experiências. Julgar o outro, controla-lo, seria o oposto deste preceito transcendental no ser humano.

Reconhecer que nossas feridas existem e que muitas não são pessoais já que ecoam de muito antes por meio do próprio genoma, é um passo importante sob a inteligência emocional e sob a qualidade como pessoa. 

Até o dia 23 os dias estarão aguados e com o inverno por aqui que oferece natural recolhimento, fugir de si mesmo não se terá muita chance.

Mas aí surge o inusitado impulso de Marte envolvendo Júpiter: ação com expansão a partir de qualquer cura gerada no período anterior. E seguimos, com o Sol em Leão, seu filho querido, que com toda garra numa parceria com Urano a partir de 29 de julho, lança perspectiva iluminada sobre a vida: criar é uma arte onde frustrações e encantamentos são experiências compostas.

Esteja com coragem. Em caso de ondas, surfe!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *